O Lado Negro dos Signos - ÁRIES




É um signo irritante. Barraqueiro. Mandão. Mimado. É o primeiro signo do zodíaco, então é a criança, é o que dá o impulso e seu elemento é o fogo. E por ser a criança, é o pentelho, o birrento, o chato.

Áries é o que inicia, é o pioneiro, o precursor e um líder nato. Tem muita energia, é dinâmico, ousado e gosta de romper limites. É muito fácil fazer um (a) ariano (a) de bobo (a). É só dar a ilusão que ele está no comando, no poder. Finja que ele está certo, e aja do seu jeito pelas costas. Pessoas de câncer e escorpião fazem isto direitinho. Capricórnio quando quer o poder também. Ou seja, sempre.

Arianos na parte profissional, quase sempre se dão bem, pois tem energia e iniciativa. Mas podem ser muito competitivos e quando são contrariados, costumam meter a mão na cara.

Na cama, são tão fogosos que cansam a gente Querem quantidade. Chega a ser irritante. Você quer assistir a novela, e está lá o ariano com olhares de volúpia, querendo entrar em ação... São os reis das encoxadas em ônibus, das cantadas no transito. É sempre aquele açougueiro bagaceiro que passa aquela cantada imunda na feira. Mas quando estão apaixonados, ficam loucos, entram na sua vida, dão palpites sobre seus amigos, decoração da sua casa, e planeja fazer tudo juntos. Se deixar um ariano assiste sua depilação de virilha.

A mulher ariana é brava, independente e dona de si. Muitas não casam, porque não suportam a idéia de um homem mandando nelas. Geralmente são líderes em empresas ou tem o próprio negócio.

Sabe aquela amiga que você pode ligar às 3 da manhã, que ela topa ir a um forró? É a ariana. Ela pode acordar às 6 da manhã, ir para ginástica, trabalhar o dia todo, fazer inglês no almoço, chegar em casa, limpar a cozinha , estudar com as crianças, transar com o marido, espanca- lo em seguida (principalmente se for de peixes ou libra) e depois pedir desculpas, ler um romance e finalmente ir dormir. Quanta energia!

Pessoas de Áries famosas:
Homens: Cazuza, Airton Senna, Lima Duarte, Antônio Fagundes, Roberto Carlos, Charles Chaplin, Marlon Brando.
Mulheres: Adriane Galisteu, Xuxa, Ana Maria Braga, Sarah Jessica Parker, Diana Ross, Billie Holiday.

Como cada signo faz orações antes de dormir




ÁRIES (21/3 - 19/4):
"Querido Deus, dê-me PACIÊNCIA, e eu a quero AGORA"!

TOURO (20/4 - 20/5):
"Deus, por favor, ajude-me a aceitar MUDANÇAS em minha vida, mas NÃO AGORA."

GÊMEOS (21/5 - 20/6):
"Ei, Deus... Ou será Deusa?... Quem é Você?.... O que é Você?... Onde está Você?... Quantos de Você há? Eu não posso Te imaginar, apesar de estar me esforçando."

CÂNCER (21/6 - 22/7):
"Querido Papaizinho do Céu, sei que eu não deveria depender tanto de Você, mas Você é a Única pessoa com quem eu posso sempre contar, enquanto querido cobertor, fonte de toda minha confiança e segurança, está sendo lavado."

LEÃO (23/7 - 22/8):
"Oi, Papi! Eu posso apostar como Você está realmente orgulhoso em ter a mim como Seu filho... Sou ou não sou Sua imagem e semelhança? Cara, até eu me espanto com nossa parecença e semelhança!!!"

VIRGEM (23/8 - 22/9):
Querido Deus, já investiguei todas as possibilidades e só posso Lhe pedir: por favor, faça do mundo um lugar melhor, e não conte muito com a colaboração da Sua criatura, pois estamos meio avariados... Daí o meu pedido pela Sua intercessão, pois estou vendo a hora em que Você vais desistir..."

LIBRA (23/9 - 22/10):
"Querido Deus, eu sei que eu deveria tomar minhas decisões sozinho. Mas, por outro lado, o que VOCÊ acha? Se eu disser "sim", tudo pode desmoronar, se eu disser "não", também... Ai, me ajude, please..."

ESCORPIÃO (23/10 - 21/11):
"Querido Deus, é visceral a minha dor ao perceber a intenção das pessoas, por isso Lhe peço: ajude-me a perdoá-las antes que meu ferrão as alcancem. Amém."

SAGITÁRIO (22/11 - 21/12):
"OH ONIPOTENTE, ONISCIENTE, TODO AMOROSO, TODO PODEROSO, ONIPRESENTE, ETERNO DEUS, SE EU LHE PEÇO DE JOELHOS,
MAIS UMA VEZ (ESTOU PEDINDO CENTENAS DE VEZES, OU O SENHOR AINDA NÃO PERCEBEU???): AJUDE-ME A PARAR DE EXAGERAR!"

CAPRICÓRNIO (22/12 - 19/1):
"Querido Pai, eu estava indo rezar, mas acho que devo descobrir as coisas por mim mesmo. Obrigado de qualquer forma."

AQUÁRIO (20/1 - 18/2):
"Oi, Deus! Alguns dizem que Você é homem. Outros dizem que Você é mulher. Eu digo que todos nós somos DEUS. Então, por que rezar? Vamos fazer uma festa, e comemorar, depois a gente pensa, né?!?!?!"

PEIXES (19/2 - 20/3):
"Pai Celestial, enquanto eu me preparo para consumir este último quinto de scotch para esquecer minha dor e meu sofrimento, possa minha embriaguez servir para aumentar Sua Honra e Glória. Amém."

Piadas Infames (Recebidas por e-mail)

A HISTÓRIA DE MARCÃO

Esta é a história de um caminhoneiro que viajava por todo Brasil e seu lema era:

"MEU NOME É MARCÃO, SOU DO MARANHÃO, GOSTOSÃO,
ENTROU NA MINHA BOLÉIA NÃO TEM PERDÃO!"

E craaaauuuu na mulherada.

Já estava a dois meses dirigindo pelas estradas em jejum, não conseguia pegar nenhuma mulher. Eis que, de repente, ele vê à sua frente uma freira, novinha, bonitinha, pedindo carona.

Ele pensa:

- Que Deus me perdoe!!!

Parou o caminhão e a freira subiu.

- Bom dia, meu filho! Você poderia me levar a cidade mais próxima?

- Bom dia, dona freira! Claro, mas tem um pequeno problema:

"MEU NOME É MARCÃO, SOU DO MARANHÃO, GOSTOSÃO,
ENTROU NA MINHA BOLÉIA NÃO TEM PERDÃO!"

- Calma, meu filho! Aqui na frente está reservado para Deus,
porém, atrás está livre..

Não deu outra. Marcão mandou ver na freirinha. Dirigindo pela estrada,
Marcão ficou pensando na besteira que tinha feito, quando ela diz:

- Meu filho, pode parar que eu vou descer aqui nesta fazenda.

Marcão respondeu:

- Dona freira, desculpe pelo que fiz com a senhora, que Deus me perdoe,
mas a senhora sabe como é ficar solitário muito tempo.

Respondeu a freira:
- Não tem problema, Deus vai te perdoar, porque:

"MEU NOME É AMARAL, SOU DE NATAL, HOMOSSEXUAL
E ESTA É A MINHA FANTASIA DE CARNAVAL!!!!!"


JUSTA CAUSA

O marido chega em casa e pega a esposa, na cama,
com um garotão,25 anos, forte, bronzeado,cheio de
amor pra dar... Arma o maior barraco, mas a mulher o interrompe:

- Antes, você deveria ouvir como tudo isso aconteceu... Andava na rua, vi esse jovem maltrapilho, cansado e faminto. Então, com pena do estado dele, eu o trouxe para casa. Dei a ele aquela refeição que eu havia preparado para você ontem e como você chegou tarde e satisfeito com o tira-gosto do boteco... não comeu, e eu guardei o jantar na geladeira, lembra-se? Ele estava descalço, então dei a ele aquele seu par de Sapatos que, como foi minha mãe que te deu, você nunca usou. Ele estava com sede e eu servi aquele vinho que estava guardado... Para aquele sábado que você prometeu mas que nunca chega... Pois num dia é futebol, noutro poker, noutro pescaria, noutro peteca, noutro lavando o carro e assim por diante. As calças estavam rasgadas, dei-lhe aquele seu jeans semi-novo... Ainda estava em perfeito estado, mas não cabia mais em você. Como ele estava sujo aconselhei-o a tomar um banho...Fazer a barba,
então dei a ele aquela loção francesa novinha que você nunca usou, porque acha fedorenta. Daí, quando ele já ia embora, perguntou:

- Dona, tem mais alguma coisa que seu marido não usa mais?

- Nem respondi!!!!!!!... Dei logo !!!

(Moral da história: Mulher só trai por justa causa)(Até parece...)


90 CENTAVOS

Um fazendeiro muito rico, casou-se com uma mulher muito pobre. Deu-lhe casa, carro e emprego para os familiares da esposa. Todos ficaram felizes e muito bem de vida. Um certo dia, a mulher procurou seus familiares e disse:
- Não agüento mais meu marido, vou me separar dele!!
O pai imediatamente indagou:
- Mas minha filha! Ele é um bom homem, te ama, te respeita, não anda com outras mulheres, você mesmo disse que ele é um homem perfeito... Por que isto agora?
E a filha respondeu:
- É que não agüento mais!! Meu marido só quer fazer sexo anal. Não posso me abaixar para pegar nada que lá vem ele. Quando me casei, meu "furico" parecia uma moeda de dez centavos, agora parece uma moeda de um Real.
O pai concluiu:
- Ôôô, minha filha !... Vai arrumar encrenca por causa de noventa centavos???


CONVÊNIO

Um fiscal do Ministério da Saúde estava visitando um hospital.
Acompanhado pelo diretor, ele passa por um quarto e um homem
masturba-se ferozmente.
A situação era meio constrangedora e o fiscal pede uma explicação ao
diretor do hospital, então ele explica.
- Trata-se de uma doença rara.
Este paciente produz uma quantidade anormal de esperma e é obrigado a
masturbar-se quatro vezes ao dia, para evitar que seus testículos
explodam.
O fiscal se satisfaz com a resposta e prossegue a visita.
Mais adiante, ele vê um paciente sentado numa cama com uma enfermeira
ajoelhada, aplicando-lhe uma bela sessão de sexo oral.
- Exijo uma explicação para esta imoralidade num hospital tão bem
conceituado como este,irrita-se o fiscal...
O diretor responde:
- É o mesmo problema do paciente anterior, só que este tem Unimed...


AEROMOÇA APRESSADA

Antes do vôo, ao microfone, o piloto cumprimenta os passageiros:
- Senhores passageiros, por favor, apertem o cinto, pois vamos decolar.
Minutos depois:
- Atenção passageiros, estamos a dez mil pés de altura, em velocidade de cruzeiro, tranqüilo, podem relaxar, soltar os cintos, logo chegaremos ao destino e boa viagem.
O piloto esquece de desligar o microfone e continua falando com o co-piloto:
- Bom, vou acionar o piloto automático. Enquanto os idiotas lá atrás curtem a viagem, vou tomar um cafezinho, fumar um cigarrinho, vou dar uma cagada e depois dar uma na gostosa da aeromoça!
Percebendo a gafe, a aeromoça corre em direção à cabine para avisar, mas tropeça no corredor e cai ao lado de uma senhora, que diz:
- Calma minha filha... Ele vai cagar primeiro...

Jardim Botânico (Rio de Janeiro)


Jardim Botânico do Rio de Janeiro: Aléia Barbosa Rodrigues e chafariz central.

O Jardim Botânico localiza-se no bairro de mesmo nome, na Zona Sul da cidade do Rio de Janeiro, no Brasil.

Uma das mais belas e bem preservadas áreas verdes da cidade, o Jardim Botânico é um exemplo da diversidade da flora brasileira e estrangeira. Nele podem ser observadas cerca de 6.500 espécies (algumas ameaçadas de extinção), distribuídas por uma área de 54 hectares, ao ar livre e em estufas.

O Jardim abriga ainda monumentos de valor histórico, artístico e arqueológico, além de um importante centro de pesquisa, que inclui a mais completa biblioteca do país especializada em botânica, com mais de 32 mil volumes.

História

Da criação ao período Imperial

Sua origem remonta à vinda da Família Real Portuguesa para o Brasil, acompanhada pela Corte (1808). Fixando-se no Rio de Janeiro, então alçada à condição de sede do Império Português, a mudança trouxe diversas oportunidades e melhorias para a cidade, dentre elas a implantação de uma Fábrica de Pólvora na sede do antigo Engenho de Rodrigo de Freitas, cujas ruínas dos muros atualmente integram os limites do Jardim Botânico.

Recém-chegado, por Decreto de 13 de junho de 1808, o Príncipe-Regente D. João criou no antigo "Engenho da Lagoa", pertencente a Rodrigo de Freitas, o Jardim de Aclimação, com a finalidade de aclimatar as plantas de especiarias oriundas das Índias Orientais: noz-moscada, canela e pimenta-do-reino.

No mesmo ano, a 11 de outubro, recebeu o nome de Real Horto. Sua direção foi entregue ao marquês de Sabará, diretor da fábrica de pólvora criada ao lado, que também entendia de botânica, sendo depois substituído pelo Tenente General Carlos Napion. Em 1810, segundo o "Dicionário de Curiosidades do Rio de Janeiro", o alemão Kaucke o transformou em uma estação experimental. Tinha à sua disposição escravos, instrumentos, morada e ganhava mais de 800 mil réis por ano. Nos viveiros já havia mudas de cânfora, nogueira, jaqueira, cravo-da-índia e outras plantas do Oriente.

Com a Proclamação da Independência do Brasil, o Real Horto foi aberto à visitação pública em 1822 como Real Jardim Botânico. Adquiriu a partir de então foros de botânico, pois seu diretor era um erudito frade carmelita, frei Leandro do Sacramento, professor de botânica conhecido pelos seus estudos da flora brasileira. Frei Leandro introduziu melhoramentos e organizou um catálogo das plantas ali cultivadas. Foi o orientador das aléias de mangueiras, jaqueiras, nogueiras e outras, assim como das cercas de murtas, crótons, hibisco.

Em sua homenagem, uma das dependências do Jardim tem o seu busto e o belo lago leva o seu nome.


Da Proclamação da República aos nossos dias

Com a Proclamação da República, passou a ser denominado como Jardim Botânico (1890). Desde então, teve vários visitantes ilustres como Albert Einstein, a rainha Elizabeth II de Inglaterra e outros, transformando-se em cartão-postal da cidade. Entre os nomes de pesquisadores que lhe estão ligados está o de Manuel Pio Correia.

O Jardim encontra-se tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional desde 1937.

Em 1991, a UNESCO considerou-o como Reserva da Biosfera. Nesse momento, quando o Jardim passava por dificuldades de manutenção e conservação, um grupo de empresas (públicas e privadas) se formou para auxiliá-lo. Como resultado das parcerias, em 1992 o orquidário e a estufa de violetas foram renovados, além de procedida uma limpeza no lago. Em 1995, foi construído o Jardim Sensorial, com plantas aromáticas e placas indicadoras em Braille, permitindo a visitação por deficientes visuais. Posteriormente uma nova estufa para as bromélias foi construída. No início do século XXI, o muro do Jardim na Rua Pacheco Leão foi demolido, dando lugar a uma grade, melhorando a sua integração paisagística no bairro.

Como reconhecimento pela sua importância científica, foi rebatizado como Instituto de Pesquisas Jardim Botânico em 1998, ficando afeto ao Ministério do Meio Ambiente. Finalmente, em 2002, tornou-se uma autarquia.


Visitação

Entre os pontos a serem considerados pelo visitante, destacam-se:


Centro de Visitantes

No Centro pode-se solicitar a visita acompanhada, pesquisas bilingües, empréstimo de binóculos e de cadeiras de rodas. Aqui se encontra a loja da Sociedade de Amigos do Jardim Botânico. O espaço também é utilizado como local de exposições de arte.


Aléia Barbosa Rodrigues

O seu nome é uma homenagem ao naturalista brasileiro João Barbosa Rodrigues, diretor da instituição entre 1890 e 1909. Aléia principal do Jardim, constitui-se no seu cartão de visitas, ladeada por imponentes Palmeiras imperiais.

A primeira muda de sua espécie a chegar no Brasil foi plantada pelo Príncipe-Regente D. João em 1809. Era então administrador Serpa Brandão, e tanto era seu carinho e seu ciúme pela palmeira que, quando esta floresceu e frutificou, colhia suas sementes e as queimava, para que não se vulgarizasse com numerosos exemplares! Com o tempo, os escravos viam nas sementes modo de conseguir dinheiro fácil, e às ocultas colhiam seus frutos à noite e iam vendê-los.

O conjunto monumental da aléia é integrado pelo portal oriundo da demolição do prédio da Academia Imperial de Belas Artes (1938), de autoria do Arquiteto francês Grandjean de Montigny.


Aléia Custódio Serrão

Assim nomeada em homenagem ao segundo administrador da instituição, Frei Custódio Serrão (1859-1861), destaca-se pelos exemplares de Abricó-de-macaco, espécie nativa da Amazônia, e pelos de Sumaúma, uma das árvores de maior porte no mundo.

Em uma das extremidades da aléia, no local onde o então Príncipe-Regente plantou a primeira Palmeira Imperial (1809), derrubada por um raio em 1972, encontra-se um busto de D. João VI, de autoria de Rodolfo Bernardelli. As sementes dessa primeira palmeira, deram origem à Palma Filia, hoje também no local.


Aléia Pedro Gordilho

Nomeada em homenagem a Pedro Gordilho Pais Leme, antecessor de Barbosa Rodrigues à frente da instituição, destaca-se pelas árvores de pau-brasil, símbolo nacional brasileiro, e pelas cascatas.


Aqueduto da Levada

Construído em 1853 com o objetivo de ordenar o curso das águas pluviais do vale da Margarida, onde havia cultura de "Carludovica palmata" (com cuja fibra se fabricavam chapéus do Chile), para o Jardim Botânico.

Bem tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), em 2005 o monumento sofreu extensa intervenção de restauro, dentro de um projeto mais amplo de recuperação e requalificação do seu entorno.

Esse projeto previu o tratamento da área, então utilizada para o descarte de restos vegetais e de resíduos, e de seus acessos, reintegrando-a ao espaço do Jardim Botânico por meio da recuperação paisagística e da sua articulação com o Caminho da Mata Atlântica e outros acessos, além da criação de novas áreas de visitação e de coleções botânicas.


Caminho da Mata Atlântica

O chamado Caminho da Mata Atlântica, antigo Caminho do Boi, é um caminho aberto num fragmento preservado da Mata Atlântica. Com aproximadamente 600 metros de extensão, inicia-se na catarata e termina, atualmente, no Aqueduto da Levada, aberto em 2005 à visitação pública.


Chafariz Central

Em ponto central no encontro das aléias, constitui-se numa das mais belas atrações do Jardim. Fabricado na Inglaterra, é constituído por duas bacias. Na maior delas, quatro figuras representam a Música, a Poesia, a Ciência e a Arte.

O chafariz foi originalmente instalado na Lapa até que, com a reformulação do Passeio Público (1905), foi aqui instalado.


Solar da Imperatriz

Edificação associada ao primeiro engenho de açúcar na então Capitania do Rio de Janeiro, o Engenho Nossa Senhora da Conceição da Lagoa, estabelecido em 1575. Este Solar e mais cinquenta e oito chácaras integravam o vasto latifúndio que compreendia todos os bairros que, atualmente, circundam a Lagoa Rodrigo de Freitas.


Memorial Mestre Valentim

Criado em 1997, o memorial homenageia o artista brasileiro Valentim da Fonseca e Silva, autor das primeiras obras em metal fundidas no Brasil, abrigando peças provenientes da demolição da antiga Fonte das Marrecas, no Passeio Público (1905).

Destacam-se os conjuntos "Aves Pernaltas" e as estátuas de "Eco" e "Narciso", fundidas em bronze.


Lago Frei Leandro

O seu nome homenageia Frei Leandro do Santíssimo Sacramento, primeiro diretor do Jardim Botânico, de 1824 a 1829.

O lago destaca-se pela presença de vitórias-régias e ninféias em seu espelho d´água, decorado por uma escultura da deusa Tétis, em ferro, da autoria de Louis Savageau. Nas suas margens, o visitante pode apreciar exuberantes exemplares da Árvore do Viajante.


Cômoro

O cômoro, elevação adjacente ao lago, foi erguido com a terra retirada para a construção do mesmo. Ambos foram projetados por Frei Leandro, que tinha o hábito de se sentar à sombra da jaqueira (até hoje no local), dirigindo os trabalhos dos escravos. Ali fez colocar uma grande mesa de granito, onde os jovens príncipes, primeiro D. Pedro I e, mais tarde, D. Pedro II, faziam seus lanches. Fez colocar ainda um relógio de sol. O cômoro é encimado por um caramanchão, a chamada Casa de Cedros.


Orquidário

Estufa construída no final do século XIX, foi reformada na década de 1930, e restaurada em 1998.

Além de abrigar mais de 700 espécies de orquídeas, o orquidário abriga plantas ornamentais como antúrios, filodendros, avencas e samambaias, um conjunto de dois mil vasos com uma das mais belas coleções do Jardim Botânico.


Bromeliário

Maior bromeliário do Rio de Janeiro, reúne cerca de mil e setecentos exemplares das Américas do Sul e Central, muitas delas encontradas na Amazônia, na Mata Atlântica, em restingas e caatingas.

De formas muito diversas, são muito apreciadas como plantas ornamentais pela sua fácil adaptação ao ambiente. Aqui encontram-se organizadas em canteiros e na Estufa Roberto Burle Marx.


Insetívoras

Esta estufa concentra uma comunidade de plantas genéricamente denominadas como insetívoras, que atrai a atenção dos visitantes em geral, e particularmente do público infantil.


Jardim Sensorial

Concebido de maneira a que as suas plantas possam ser tocadas pelos visitantes, destina-se particularmente à apreciação pelos deficientes visuais.

O conjunto é constituído por plantas aromáticas e de diversas texturas, sendo o visitante convidado a exercitar os sentidos do tato e do olfato, particularmente. As espécies de plantas encontram-se identificadas por placas com escrita em braille.


Região Amazônica

Este trecho do Jardim evoca a densa vegetação da Amazônia, cenário completo com uma cabana de sapê e a estátua de um caboclo da região. Aqui se encontram exemplares de seringueiras, babaçus, andirobas, cacaueiros e pau-mulato, espécie interessante pela mudança de cor que apresenta a cada época do ano.


Jardim Japonês

Criado em 1935, a partir de uma doação de sessenta e cinco espécies de plantas típicas do Japão, feita pela Missão Econômica Japonesa, que à época visitou o Brasil. Reinaugurado em 1995, apresenta ao visitante um típico recanto nipônico, com um jardim de pedras, e exemplares de bonsais, bambus, cerejeiras, buquês de noiva e salgueiros-chorões. Nos dois lagos, habitados por carpas, destacam-se flores de lótus.

O Jardim Botânico do Rio de Janeiro conta ainda com um café (Café Botânica).


Alguns números sobre o Jardim Botânico

O Jardim conta com:

330 mil plantas desidratadas
Carpoteca com 5.800 frutos secos
Xiloteca com 8.000 amostras de madeira
Orquidário
Biblioteca com cerca de 66 mil volumes e 3 mil obras raras

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.












Mamãe Não Pode Saber (João Falcão)




Com texto e direção de João Falcão, o espetáculo Mamãe Não Pode Saber conta a história de uma família decadente, que enxerga na matriarca a possibilidade de salvação para todos os problemas. Encenada por Cia Os Surtados, a trama está ligada aos conflitos de cada personagem.

Glória é uma perua que tenta ganhar a vida com um serviço de auto-ajuda por telefone. Ela é casada com Arthur, um político desonesto, que tenta deslanchar sua candidatura de deputado. A filha Priscila é aspirante a modelo aos 13 anos. Júlia é a amiga invejosa que faz de tudo para tentar engordá-la. O irmão Juninho é um adolescente que segue uma tribo a cada semana.

As armações da família vêm à tona com a chegada da mãe, que não está a par do que acontece. Então, eles contam para ela uma porção de mentiras, como Arthur sendo o prefeito da cidade. Todas as figuras enfrentam uma tremenda saia justa para driblar a matriarca e se safar das confusões.

Ficha Técnica:
Elenco: Flávia Guedes, Rodrigo Fagundes,Thaís Lopes e Wendell Bendelack
Ator convidado: Leonardo Miranda
Texto e direção: João Falcão
Direção de movimento e assistência de direção: Duda Maia
Luz: Paulo Roberto Moreira
Cenografia: Sérgio Marimba
Figurino: Helena Araújo e Djalma Brilhante
Trilha Sonora: Ricco Viana

Local: Teatro Clara Nunes (INFORMAÇÕES)
Preço(s): R$ 50,00.
Data(s): 09 de junho a 29 de julho de 2009.
Horário(s): Terça e quarta, 21h.

A Idade do Céu (Jorge Drexler / versão: Moska) - Moska



Não somos mais
Que uma gota de luz
Uma estrela que cai
Uma fagulha tão só
Na idade do céu...

Não somos o
Que queríamos ser
Somos um breve pulsar
Em um silêncio antigo
Com a idade do céu...

Calma!
Tudo está em calma
Deixe que o beijo dure
Deixe que o tempo cure
Deixe que a alma
Tenha a mesma idade
Que a idade do céu...

Não somos mais
Que um punhado de mar
Uma piada de Deus
Um capricho do sol
No jardim do céu...

Não damos pé
Entre tanto tic tac
Entre tanto Big Bang
Somos um grão de sal
No mar do céu...

Calma!
Tudo está em calma
Deixe que o beijo dure
Deixe que o tempo cure
Deixe que a alma
Tenha a mesma idade
Que a idade do céu
A mesma idade
Que a idade do céu...

Calma!
Tudo está em calma
Deixe que o beijo dure
Deixe que o tempo cure
Deixe que a alma
Tenha a mesma idade
Que a idade do céu
A mesma idade
Que a idade do céu...(2x)

A mesma idade
Que a idade do céu...

... e a original:

La Eda del Cielo (Jorge Drexler)



No somos más
que una gota de luz,
una estrella fugaz,
una chispa, tan sólo,
en la edad del cielo.

No somos lo
que quisiéramos ser,
solo un breve latir
en un silencio antiguo
con la edad del cielo.

Calma,
todo está en calma,
deja que el beso dure,
deja que el tiempo cure,
deja que el alma
tenga la misma edad
que la edad del cielo.

No somos más
que un puñado de mar,
una broma de Dios,
un capricho del Sol
del jardín del cielo.

No damos pie
entre tanto tic tac,
entre tanto Big Bang,
sólo un grano de sal
en el mar del cielo.

Sem Dizer Adeus (Moska) - Moska



Eu
Chorei até ficar debaixo d’água
Submerso por você
Gritei até perder o ar
Que eu já nem tinha pra sobreviver (Eu andei...)

Eu
Andei até chegar no último lugar
Pisado por alguém
Só pra poder provar
O que era estar depois do final do além (Eu andei...)

E cheguei exatamente onde algum dia
Você disse que partia pra nunca mais voltar
E eu já estava lá a te esperar sem dizer adeus

Eu
Fiquei sozinho até pensar
Que estar sozinho é achar que tem alguém
Já me esqueci do que não fiz
O que farei pra te esquecer também?
Se eu não sei o nome do que sinto
Não tem nome que domine o meu querer
Não vou voltar atrás
O chão sumiu a cada passo que eu dei (Eu andei...)

A Seta e o Alvo (Moska / Nilo Romero) - Moska



Eu falo de amor à vida,
Você de medo da morte.
Eu falo da força do acaso
E você de azar ou sorte.

Eu ando num labirinto
E você numa estrada em linha reta.
Te chamo pra festa,
Mas você só quer atingir sua meta.
Sua meta é a seta no alvo,
Mas o alvo, na certa, não te espera.

Eu olho pro infinito
E você de óculos escuros.
Eu digo: "Te amo!"
E você só acredita quando eu juro.

Eu lanço minha alma no espaço,
Você pisa os pés na terra.
Eu experimento o futuro
E você só lamenta não ser o que era.
E o que era?
Era a seta no alvo,
Mas o alvo, na certa, não te espera.

Eu grito por liberdade,
Você deixa a porta se fechar.
Eu quero saber a verdade
E você se preocupa em não se machucar.

Eu corro todos os riscos,
Você diz que não tem mais vontade.
Eu me ofereço inteiro
E você se satisfaz com metade.
É a meta de uma seta no alvo,
Mas o alvo, na certa não te espera!

Então me diz qual é a graça
De já saber o fim da estrada,
Quando se parte rumo ao nada?

Sempre a meta de uma seta no alvo,
Mas o alvo, na certa, não te espera.

Então me diz qual é a graça
De já saber o fim da estrada,
Quando se parte rumo ao nada?

Um Móbile no Furacão (Moska) - Moska



Você diz que não me reconhece, que não sou o mesmo de ontem
E que tudo o que eu faço e falo não te satisfaz
Mas não percebe que quando eu mudo é porque
Estou vivendo cada segundo e você
Como se fosse uma eternidade a mais
Sou um móbile solto no furacão...
Qualquer calmaria me dá... solidão

Na última vez que troquei meu nome
Por um outro nome que não lembro mais
Tinha certeza: ninguém poderia me encontrar
Mas que ironia minha própria vida
Me trouxe de volta ao ponto departida
Como se eu nunca tivesse saído de lá

Sou um móbile solto no furacão
Qualquer calmaria me dá... solidão

Quando a âncora do meu navio encosta no fundo, no chão
Imediatamente se acende o pavio e detona-se minha explosão
Que me ativa, me lança pra longe pra outros lugares, pra novos presentes
Ninguém me sente...
Somente eu posso saber o que me faz feliz
Sou um móbile solto no furacão
Qualquer calmaria me dá... solidão

Clube dos Suicidas / À Beira da Loucura (On the Edge) (John Carney)




Sinopse:

Logo após a morte do pai, Jonathan (Cillian Murphy) pega um carro e se atira do alto de um penhasco. Depois de escapar ileso da morte ele é mandado para uma clínica com pacientes suicidas em recuperação, que chegaram próximos da morte e que agora tentam achar um novo rumo para suas vidas. Entre eles Toby (Jonathan Jackson) e a enigmática Rachel (Tricia Vessey), por quem se apaixona. Dr. Figure(Stephen Rea) é o psiquiatra que cuida dos pacientes, mas Jonathan não quer facilitar em nada o trabalho de recuperação.

A trilha sonora traz Smashing Pumpkins, The Jam, Doves, Pixies e Supergrass, entre outros.

Título no Brasil: Clube dos Suicidas
Título Original: On The Edge
Direção: John Carney
País de Origem: Irlanda
Gênero: Drama
Tempo de Duração: 85 minutos
Ano de Lançamento: 2001
Distrib.: Universal

TRAILER:

Três Formas de Amar (Threesome) (Andrew Fleming)



Sinopse:

Em razão de um erro burocrático dois rapazes e uma garota vão morar no mesmo módulo em um alojamento universitário. Entre eles nasce um relacionamento não convencional, na qual a atração e a amizade caminham ao mesmo tempo mas em caminhos diferentes.

Ficha Técnica:

Título Original: Threesome
Gênero: Romance
Tempo de Duração: 93 minutos
Ano de Lançamento (EUA): 1994
Estúdio: TriStar Pictures / Motion Picture Corporation of America
Distribuição: TriStar Pictures
Direção: Andrew Fleming
Roteiro: Andrew Fleming
Produção: Brad Krevoy e Steven Stabler
Música: Thomas Newman
Fotografia: Alexander Gruszynski
Desenho de Produção: Ivo Cristante
Direção de Arte: Ken Larson
Figurino: Deborah Everton
Edição: William C. Carruth


Elenco:

Lara Flynn Boyle (Alex)
Stephen Baldwin (Stuart)
Josh Charles (Eddy)
Alexis Arquette (Dick)
Martha Gehman (Renay)
Mark Arnold (Larry)
Michele Matheson (Kristen)
Jack Breschard (Padre)

Alegre Menina (Dorival Caymmi / Jorge Amado) - Djavan



O que fizeste, sultão, de minha alegre menina?
Palácio real lhe dei, um trono de pedraria
Sapato bordado a ouro, esmeraldas e rubis
Ametista para os dedos, vestidos de diamantes
Escravas para servi-la, um lugar no meu dossel
E a chamei de rainha, e a chamei de rainha

O que fizeste, sultão, de minha alegre menina?
Só desejava as campinas, colher as flores do mato
Só desejava um espelho de vidro para se mirar
Só desejava do sol, calor para bem viver
Só desejava o luar de prata para repousar
Só desejava o amor dos homens para bem amar

No baile real levei a tua alegre menina
Vestida de realeza, com princesas conversou
Com doutores praticou, dançou a dança faceira
Bebeu o vinho mais caro, mordeu fruta estrangeira
Entrou nos braços do rei, rainha, mas verdadeira

Angola (Artur Maia, Mart'nália, Maré e Paulo Flores) - Mart'nália

Êh Angola, muxima êh
Êh Luanda, mussulo
De onde vem meu povo
terra do homem novo
minha nação Banto Zumbi
Cheiro de jinsaba, nos sons do meu perfume
com semba, samba, soul, charme
Só vivo de madrugada
Sou filho da batucada, okê!
e isso é questão de prazer
minha festa é a Kizomba
"A volta da fogueira"
Lúmbua, mukolo, kalulu,
Fundji e mibiji
Sou filha da Angola
Sou neta da bahia
Sou cria da poesia que vem das ondas do mar
O meu canto é òxossi
Por isso é que eu sou forte
Mutalambô, oxú-pá de Massangá, Lembá-dilê
Obá de Ngana Zumbi ê
Kíanda ossá, crioula
que vem de Ngana zumbi ê

Êh Benguela, MuKumbê
Êh Lubango, Katendê
Êh Cabinda, Lelé bamiô
Êh Bengo, ereum malé
Êh Bié, oxê
Êh Cuango Cubango, Lembá Dilê
Êh Cuanza Norte, afoxê Loni
Êh Cuanza Sul, gexá morô
Êh Cunene, tatá ê mê
Êh Huambu, okê
Êh Huíla, aganju
Lunda Norte, é alocu mambó
Lunda Sul,
Olorum idá quilofé
Luanda

Espatódea (Nando Reis) - Nando Reis



Minha cor
Minha flor
Minha cara

Quarta estrela
Letras, três
Uma estrada

Não sei se o mundo é bom
Mas ele está melhor
desde que você chegou
E perguntou:
Tem lugar pra mim?

Espatódea
Gineceu
Cor de pólen

Sol do dia
Nuvem branca
Sem sardas

Não sei se o mundo é bom
Mas ele está melhor
desde que você chegou
E explicou
O mundo pra mim

Não sei se esse mundo está são
Mas pro mundo que eu vim já não era
Meu mundo não teria razão
Se não fosse a Zoé

Espatódea
Gineceu
Cor de pólen

Sol do dia
Nuvem branca
Sem sardas

Não sei quanto o mundo é bom
Mas ele está melhor
desde que você chegou
E explicou
O mundo pra mim

Não sei se esse mundo está são
Mas pro mundo que eu vim já não era
Meu mundo não teria razão
Se não fosse a Zoé

As coisas tão mais lindas (Nando Reis) - Cássia Eller



Entre as coisas mais lindas que eu conheci
Só reconheci suas cores belas quando eu te vi
Entre as coisas bem-vindas que já recebi
Eu reconheci minhas cores nela e então eu me vi

Está em cima com o céu e o luar
Hora dos dias, semanas, meses, anos, décadas
E séculos, milênios que vão passar
Água-marinha põe estrelas no mar
Praias, baías, braços, cabos, mares, golfos
E penínsulas e oceanos que não vão secar

E as coisas lindas são mais lindas
Quando você está
Onde você está
Hoje você está
Nas coisas tão mais lindas
Porque você está
Onde você está
Hoje você está
Nas coisas tão mais lindas

Pedra Gigante ( Gilberto Gil / Bené Fonteles ) - Cássia Eller

Dessa pedra gigante vaza um sol
A grandeza da Gávea, Zé Ninguém
Lá, gravita, levita o que era pó
Lá, fagulha paisagem, zoom e zen
Lá, descasca do corpo o fruto nu
Goza montanha no mar
Beira céus, asa- delta, lá, feliz
Ela vem da Fenícia, lenda flor
Brotou da força lunar
Da floresta ela vinga o dom da luz
A pedra, a glória de um deus
A pedra, a glória de um deus
A pedra, a glória de um deus

Citações

"Deus move o céu inteiro naquilo que o ser humano é incapaz de fazer, mas não move uma palha naquilo que a capacidade humana pode resolver"

(Antigo ditado oriental)

"O oposto do amor não é o ódio, mas a indiferença"

(Érico Veríssimo)

RAFAEL = Fafinha = O Profeta do Recomeço



Azeite = Maria Rita = Caldo verde = Ar-condicionado = Salvador = DVD's piratas (rs) = Cerveja = Roberta Sá = Candomblé = Perfumes = Cigarro = Sinceridade = Mart'nália = Lasanha = Responsabilidade = Mau-humor = Bom-humor = Consultas (rs) = Café = Aparelho = Rodízio = Segurança = Jukebox = Daniela Mercury = Ilha Grande = Mariscos (rs) = Manhãs = Exigência = Oxalá = Bolsa de Valores (rs) = Desorganização = Bondade = Maria Bethânia = Trabalho = Dona Íris = Carnaval = Confiança = Experiência = Exagero = Alcione = Sarcasmo = Gargalhadas = Religião = Mentos = Sabedoria = Biologia = Araketu = Jacarépaguá = Esperança = Gêmeos = Call Centers = Gagueira curada (rs) = Prisão de ventre (rs) = Sexta-feira = McDonald's = Telefone = Boemia = "Siqueirão" = Junho = Estresse = Brahma = Asma = Universidade = Fofoca (rs) = Histórias = Táxi = Van = Drama = Show do Kid Abelha (rs) = UERJ = Sensatez = MPB = Ciúmes = "Muito fraaanco!" (rs)

RODRIGO = Ash = Maaash!! = O Elfo Ébrio da Bohemia




= Youtube = "The Doors" = Magia = Fantasmas = Vinho = Boemia = Cigarro = Cabala = Dionísio = Elfos = Inteligência = "Kiss" = Mantras = "ABBA" (rs) = "The Smiths" = Sensibilidade = "A Profecia Celestina" = Sensatez = Álcool (rs) = Música = Lesbian Churras = Incenso = Velas = Caldeirão = Jim Morrisson = Tolkien = Mediunidade = Sagitário = Quíron = Guitarra = Livros = Sabedoria = Ruka = Arte = Natal = Família = Sombras = Lágrimas = Falta de bunda (rs) = Europa = Inverno = Telepatia = Bacardi = Esperança = Violão = Tetos pretos (rs) = "Uriah Heep" = Desenhos = Viagens astrais = Antiguidade = Vidas passadas = Nórdicos = Olhos claros = Cítara = Krishna = Thelema = "Maaaaash!" (rs) = "Vermelhinho" = Floresta Negra = Anel do Poder = Auto CAD = Elementais = Insights = "Cocteau Twins" = Andanças = Carlos Castañeda = Malhação atrasada (rs) = Júpiter = Bibliotecas = Gargalhadas = Baphomet = "Iron Maiden" = David Duchovny = Arquitetura = Heavy Duty = "Outra linguagem..."

Três bêbados em um ponto de ônibus...

Gustavo é uma flôr...

Curta - Pare de Sofrer

Curta - Atrás do Início do Fim do Acampamento Macabro

Michael Jackson - Humor Negro

Arquivo

Quem sou eu

Minha foto
"Há um prazer na floresta sem trilhas Há um êxtase na margem deserta Há sociedade, onde ninguém se entromete, No mar profundo, e música no seu rugido Eu não amo o Homem menos, mas a Natureza mais..." (Lord Byron)

Seguidores