The Cranberries - Citibank Hall [28/01/2010]



The Cranberries é uma banda irlandesa de rock alternativo que ganhou notoriedade durante a década de 1990. Em 2003, interrompeu as atividades, retornando em 2009 para uma série de shows. A banda vendeu mais de 14.5 milhões de álbuns somente nos Estados Unidos.

A banda é composta por Dolores Mary Eileen O’Riordan Burton (voz, teclados e segunda guitarra), Michael Gerard Hogan (baixo), Noel Anthony Hogan (guitarra) e Fergal Patrick Lawler (bateria).

Noel e Mike Hogan, dois irmãos de Limerick, idealizaram a banda em 1989 e a formaram com o baterista Fergal Lawler em 1990. O nome original era The Cranberry Saw Us, o saw us fazendo um trocadilho com sauce, molho em inglês (vale lembrar que cranberry, ou mirtilo em português, é fruta típica da ilha irlandesa). Dolores O’Riordan fez o teste e ganhou o papel de vocalista principal, compondo a letra de Linger. Sua voz é um elemento importante da sonoridade da banda. De fato, o diferencial das canções do grupo está justamente na voz de Dolores, que é quase mais um instrumento do grupo.

Ao longo de treze anos de carreira, a banda alcançou sucesso mundial através de cinco álbums:

- “Everybody Else Is Doing It, So Why Can’t We?” (1993), cujos singles foram “Dreams” (1992/1994) e “Linger” (1993);

- “No Need To Argue” (1994), cujos singles foram “Zombie” (1994), “Ode To My Family” (1994), “I Can’t Be With You” (1995) e “Ridiculous Thoughts” (1995);

- “To The Faithful Departed” (1996), com os singles “Salvation” (1996), “Free To Decide” (1996), “When You’re Gone” (1996) e “Hollywood” (1997);

- “Bury The Hatchet” (1999), com os singles “Promises” (1999), “Animal Instinct” (1999), “Just My Imagination” (1999) e “You And Me” (2000); e

- “Wake Up And Smell The Coffee” (2001), cujos singles foram “Analyse” (2001), “Time Is Ticking Out” (2002) e “This Is The Day” (2002).

Ainda em 2003 foram reunidos todos os singles em uma coletânea, que apresentava duas canções inéditas: “New New York”, sobre os atentados terroristas aos Estados Unidos e “Stars”, que virou single e intitulava a coletânea.

























































Mart'nália - Lona Cultural de Jacarépaguá [22/01/2010]





































Gitana / Gypsy (A. Ghost / Shakira / I. Dench / C. Sturken / E. Rogers) - Shakira



Nunca usé un antifaz
Voy de paso
Por este mundo fugaz

No pretendo parar
¿Dime quién camina
Cuando se puede volar?

Mi destino es andar
Mis recuerdos
Son una estela en el mar

Lo que tengo, lo doy
Digo lo que pienso
Tómame como soy

Y va liviano
Mi corazón gitano
Que solo entiende de latir
A contramano
No intentes amarrarme
Ni dominarme
Yo soy quien elige
Como equivocarme

Aprovechame
que si llegué ayer
Me puedo ir mañana
Que soy gitana
Que soy gitana

Sigo siendo aprendiz
En cada beso
Y con cada cicatriz

Algo pude entender
De tanto que tropiezo
Ya sé como caer

Y va liviano
Mi corazón gitano
Que solo entiende de latir
A contramano
No intentes amarrarme
Ni dominarme
Yo soy quien elige
Como equivocarme

Aprovechame
Que si llegué ayer
Me puedo ir mañana
Que soy gitana

Vamos y vemos..
Que la vida es un goce
Es normal que le temas
A lo que no conoces

Tómame y vamos
Que la vida es un goce
Es normal que le temas
A lo que no conoces
Quiero verte volar
Quiero verte volar

Y va liviano
Mi corazón gitano
Que solo entiende de latir
A contramano
No intentes amarrarme
Ni dominarme
Yo soy quien elige
Como equivocarme

Si vine ayer
Aprovecha hoy
Que me voy mañana
Que soy gitana



Broke my heart down the road
Spend the weekend sewing the pieces back on

Crayons and dolls pass me by
Walking gets too boring
When you learn how to fly

Not the homecoming kind
Take the top off
And who knows what you might find

Won't confess all my sins
You can bet I'll try it but you can't always win

'Cause I'm a gypsy
Are you coming with me?
I might steal your clothes
And wear them if they fit me

I never made agreements
Just like a gypsy
And I won't back down
'Cause life's already hurt me

And I won't cry
I'm too young to die
If you're gonna quit me
'Cause I'm a gypsy

'Cause I'm a gypsy

I can't hide what I've done
Scars remind me
Of just how far that I've come
To whom it may concern
Only run with scissors
When you want to get hurt

'Cause I'm a gypsy
Are you coming with me?
I might steal your clothes
And wear them if they fit me

I never made agreements
Just like a gypsy
And I won't back down
'Cause life's already hurt me

And I won't cry
I'm too young to die
If you're gonna quit me
'Cause I'm a gypsy

I said "Hey you, you're no fool if you say no"
Ain't it just the way life goes?
People fear what they don't know
Come along for the ride
Come along for the ride

'Cause I'm a gypsy
Are you coming with me?
I might steal your clothes
And wear them if they fit me

I never made agreements
Just like a gypsy
And I won't back down
'Cause life's already hurt me

And I won't cry
I'm too young to die
If you're gonna quit me
'Cause I'm a gypsy

Roberta Sá - Praia de Copacabana [31/12/2009]




Aos 24 anos, a jovem cantora Roberta Sá apresenta o seu Braseiro com jeito de veterana.

Em pouco mais de 3 anos, a música passou de coadjuvante à protagonista na vida de Roberta, desde que ela teve a certeza de que esse era o caminho. Um show no Mistura Fina em 2002, foi uma espécie de marco zero na conquista de aliados de peso.

Felipe Abreu, que assina a direção do vocal de Braseiro, estava lá e foi o primeiro grande incentivador. O músico Paulo Malagutti entrara em cena na produção de uma demo com cinco músicas, que começou a ser gravada em 2003 no estúdio de Rodrigo Campello (que viria a produzir Braseiro).

Natural do Rio Grande do Norte, radicada no Rio de Janeiro desde os nove anos, Roberta sorri e confessa: “Depois de pronta, resolvi fazer a demo chegar às mãos de Gilberto Braga, que estava por estrear a novela Celebridade, e Mariozinho Rocha (o todo poderoso produtor musical da TV Globo). Na cara-de-pau, mesmo.”

O impulso de sagitariana foi prontamente recompensado: “As músicas da demo não casavam com os personagens, mas o Gilberto queria incluir o samba A Vizinha do Lado, de Dorival Caymmi, e me convidou pra gravá-lo”. O tema da personagem Jaqueline Joy foi destaque absoluto de Celebridades. Faltou apenas ligar o nome à pessoa.

Em seguida, Rodrigo Campello passou a trabalhar com Roberta no repertório do álbum de estréia. Felipe Abreu apresentou o material à irmã, Fernanda Abreu, no estúdio, quando a cantora ainda trabalhava na demo. Quando A Vizinha do Lado entrou na novela, Fernanda mostrou o material ao seu empresário João Mário Linhares, dono do selo MP,B.

O time de aliados ilustres ainda contou com as adesões de Ney Matogrosso, que divide vocais com Roberta a faixa Lavoura, Pedro Luís, os músicos da Parede e os veteranos do MPB-4.

O repertório de Braseiro é uma declaração de amor à música popular brasileira.

No processo de gravação de Braseiro, Roberta descobriu outra paixão: pesquisar repertório e ouvir muito. Sempre. O resultado de tanta dedicação à arte está aí.

Release extraído do site oficial da cantora.





Quem sou eu

Minha foto
"Há um prazer na floresta sem trilhas Há um êxtase na margem deserta Há sociedade, onde ninguém se entromete, No mar profundo, e música no seu rugido Eu não amo o Homem menos, mas a Natureza mais..." (Lord Byron)

Seguidores